NORMAS EDITORIAIS
1. Do objeto
A presente norma se destina a disciplinar a publicação do Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva – Caderno de Textos dos Alunos da Graduação, editado pelo NETE – FaE/UFMG.

2. Da finalidade do caderno
O Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva – Caderno de Textos dos Alunos da Graduação, terá por finalidade divulgar a produção intelectual do corpo discente da Faculdade Educação da UFMG – Pedagogia e Licenciatura, criando uma fonte de divulgação permanente dos trabalhos realizados por estes alunos.

3. Do comitê e conselho editorial
· O Comitê Editorial do Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva é responsável por todas as etapas necessárias para sua edição e será composto pelos membros da Comissão de Ensino do NETE. O(s) coordenador(es) desta Comissão serão também os coordenadores do Comitê Editorial e portanto os Editores do Caderno.

· O Conselho Editorial do Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva será composto por membros do Corpo Docente da Faculdade de Educação da UFMG ligados ao NETE e por alunos da pós-graduação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMG, também vinculados a este Núcleo.

· Clique aqui para Vizualizar o Fluxo dos Textos.

4. Da periodicidade
O Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva terá periodicidade semestral. Esta periodicidade poderá ser alterada a partir de decisão da Comissão de Ensino do NETE, responsável pela edição do Caderno.

5. Dos colaboradores do caderno
O Comitê Editorial poderá convidar alunos de outras instituições públicas ou privadas para publicar artigos no Caderno Eletrônico Trabalho & Educação em Perspectiva de forma a ampliar a participação de alunos de graduação em pedagogia e alunos de licenciatura, aperfeiçoando o Caderno Eletrônico como fonte de debate e pesquisa.

6. Das especificações técnicas
Os artigos encaminhados para publicação deverão observar as seguintes especificações técnicas:

6.1. Os artigos deverão ter no máximo 15 e no mínimo 10 laudas digitadas em espaço 1,5 – fonte Time New Roman – tamanho 12, em Word for Windows.

6.2. Cada artigo deverá incluir:
§ Título em português, devendo o mesmo expressar, de forma clara e precisa o conteúdo geral do artigo.
§ Resumo informativo do conteúdo do artigo, de no máximo 350 caracteres e no mínimo 250 caracteres (incluindo os espaços em branco), bem como palavras-chave no mínimo de quatro e no máximo de seis (observar as especificações de fonte, tamanho, etc., contidas no item 6.1).
§ As notas, citações e referências deverão obedecer a nbr - 6023 (agosto de 2000) da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) – reproduzidas sinteticamente abaixo:
Referências – deverão ser ordenadas alfabeticamente pelo sobrenome do primeiro autor. Nas referências bibliográficas de até três autores, todos poderão ser citados, separados por ponto e vírgula. Nas referências com mais de três autores, citar somente o primeiro autor, seguido da expressão et al.
Notas - Não incluir referências bibliográficas nas notas. As notas, quando existirem, devem ser numeradas seqüencialmente e colocadas no final do artigo, antes das referências bibliográficas.
Citações no texto - A identificação das referências no texto, tabelas e figuras deve ser feita com a indicação do(s) nome(s) do(s) autor(es), ano de publicação e paginação (Nunes, 1995, p. 225). Se forem dois autores, citam-se ambos, separados por ponto e vírgula; se forem mais de três, cita-se o primeiro autor seguido da expressão et al.

A exatidão das referências constantes na listagem e a correta citação no texto são de responsabilidade do(s) autor(es) dos trabalhos.

Modelos de referências bibliográficas
Livros (um autor)
FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

Livros (dois autores)
BABIN, P.; KOULOUMDJIAN, M. Os novos modelos de compreender: a geração do audiovisual e do computador. São Paulo: Paulinas, 1989.

Capítulos de livros
OLIVEIRA, F. Neoliberalismo à brasileira. In: GENTILI, P. (Org.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o estado democrático. Rio de Janeiro: Paz & Terra, 1995. p. 29-34.

Artigos de periódicos (com mais de três autores)
PODSAKOFF, P.M. et al. Transformational leader behaviors and their effects on followers' trust in leader, satisfaction, and organizational citizenship behaviors. Leadership Quarterly, Greenwich, Conn., v. 1, n. 2, p. 107-142, 1990.

Teses
CARVALHO, W.L.P. O ensino das ciências sob a perspectiva da criatividade: uma análise fenomenológica. 1991. 302f. Tese (doutorado) _ Faculdade de Educação. Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Artigo de periódico (formato eletrônico)
AQUINO, J.G.; MUSSI, M.C. As vicissitudes da formação docente em serviço: a proposta reflexiva em debate. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 2, p. 211-227, jul. 2001. Disponível em:<http://www.scielo.com.br> Acesso em 14 ago. 2002.

Livro em formato eletrônico
SÃO PAULO (Estado). Entendendo o meio ambiente. São Paulo, 1999. v. 1. Disponível em: <http://www.bdt.org.br/sma/entendendo/atual/htm> Acesso em 8 mar. 1999.

Artigo de jornal assinado
DIMENSTEIN, G. Escola da vida. Folha de S. Paulo, São Paulo, 14 jul. 2002. Folha Campinas, p. 2.

Artigo de jornal não assinado
FUNGOS e chuva ameaçam livros históricos. Folha de S. Paulo, São Paulo, 5 jul. 2002. Cotidiano, p. 6.
Decretos, Leis

BRASIL. Decreto n. 2.134, de 24 de janeiro de 1997. Regulamenta o art. 23 da Lei n. 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a categoria dos documentos públicos sigilosos e o acesso a eles, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 18, p. 1435-1436, 27 jan. 1997. Seção 1.

Constituição federal
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasilia, DF: Senado Federal, 1988.

Relatório oficial
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Relatório 1999. Curitiba, 1979. (mimeogr.)

Gravação de vídeo
VILLA-LOBOS: o índio de casaca. Rio de Janeiro: Manchete Vídeo, 1987. 1 videocassete (120 min.):VHS, son., color.
Trabalho publicado em Anais de Congresso

PARO, V.H. Administração escolar e qualidade do ensino: o que os pais ou responsáveis têm a ver com isso? In: SIMPOSIO BRASILEIRO DE POLITICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 18., 1997, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, edipucrs, 1997. p. 303-314.

Tabelas e figuras
As tabelas deverão ser numeradas, consecutivamente, com algarismos arábicos, na ordem em que foram citadas no texto e encabeçadas por seu título, recomendado-se a não repetição dos mesmos dados em gráficos. Na montagem das tabelas recomenda-se seguir as "Normas de apresentação tabular", publicadas pelo ibge. Quadros são identificados como tabelas, seguindo uma única numeração em todo o texto. As ilustrações (fotografias, desenhos, gráficos etc.) serão consideradas figuras. Devem ser numeradas, consecutivamente, com algarismos arábicos, na ordem em que foram citadas no texto. As tabelas e figuras devem ser apresentadas em folhas separadas do texto e em arquivo a parte (nos quais devem ser indicados os locais onde devem ser inseridas). Sempre que possível, deverão ser confeccionados para sua reprodução direta, apresentando o máximo de qualidade de resolução.

6.3. Todos os artigos encaminhados serão submetidos ao Conselho Editorial, podendo ser aprovados integralmente; aprovados com restrição (desde que o autor faça as reformulações propostas pelo parecerista); ou recusados.

6.4. As decisões concernentes ao disposto no item anterior desta norma serão comunicadas aos autores, sendo que aqueles que tiverem que efetuar reformulações, terão um prazo estipulado, que deverá ser observado, para retorno do artigo devidamente corrigido.

7. Da organização do caderno de texto
7.1. A Comissão Editorial decidirá a partir dos temas presentes a melhor organização para a publicação dos artigos.

7.2. Cada caderno publicará 20 artigos (este número poderá ser alterado a qualquer momento pelo Comitê Editorial). Caso o número de artigos aprovados ultrapassar a 20, os excedentes ficam automaticamente aprovados para o próximo número.

7.3. O Comitê Editorial do Caderno poderá instituir outras seções no Caderno de Textos Eletrônico, a depender do material recebido, como "Resenhas", "Espaço Livre", “Fotografias”.

8. Das disposições finais ou transitóriais
8.1. O Comitê Editorial poderá, ao seu critério, prorrogar ou reduzir os prazos para a entrega dos artigos do Caderno.

8.2. Qualquer dúvida referente à elaboração do Caderno será dirimida pelo Comitê Editorial.